Vereadores recebem representantes da Geral para esclarecimentos

Publicado em 
 
Pouco antes da Sessão Ordinária de segunda-feira, 8, o Presidente Alberi Dias, juntamente dos vereadores Jerônimo Terra Rolim, Ismael Viezze, Jonas Bohn Bernardo, Carlos Oliveira, Merlin Jone Wulff, Carmen Lúcia de Moraes, Emília Fulcher e Marcelo de Brito Drehmer, receberam representantes da Empresa Geral Transportes para tirarem dúvidas sobre a coleta de lixo no município. A empresa, que tem o contrato se encerrando em dezembro, garantiu que será dado aviso prévio aos seus funcionários em novembro se as questões do contrato não forem atualizadas pelo Poder Executivo para empresa continuar mantendo o serviço.
 
Na últimas semanas, a coleta de lixo na cidade foi interrompida por já ter atingido a quantidade de resíduos estipulada em contrato com a prefeitura, que hoje é de 633 toneladas. Segundo os representantes da empresa, a Geral já solicitou diversas vezes o reequilíbrio nos valores e na quantidade de recolhimento previsto em contrato, mas não foi atendida pelo Poder Executivo. A empresa não vai paralisou toda a coleta no município, pois levou em consideração o turismo da cidade e que algumas partes da região central devem continuar recebendo o recolhimento, mas a falta do serviço é notada em diversos bairros de Canela.
 
A Secretaria de Meio Ambiente, Urbanismo e Mobilidade Urbana, enaltece que o Poder Executivo tem sido parceiro da empresa Geral Transportes, cumprindo todos os termos previstos em contrato, honrando pagamentos e prazos, e a Administração Municipal se mostra aberta ao diálogo e empenhada para manter em funcionamento este serviço que é de suma importância para a cidade.
 
O vereador Jerônimo Terra Rolim questionou o proprietário da empresa geral sobre o contrato ser global, e não por pesagem, pois foi esta situação informada pelo Executivo. A empresa comprovou que desde o início do contrato quando a empresa ainda era de outro proprietário havia uma planilha indicando a quantidade de lixo a ser recolhido, o que prova que não seria contrato global, mas sim por peso. Rolim ainda questionou sobre a afirmação do secretário de Meio Ambiente de que teria visto um funcionário da geral fazendo trabalho com desleixo na hora da esteira, o que foi rechaçado pelo proprietário da geral que ainda questionou onde estariam provas disso.
 
Para Rolim, o impasse deve ser resolvido logo e ambas as partes tem que tratar o assunto com o máximo de clareza e transparência: "Particularmente eu fiquei muito chateado com a posição da Prefeitura e a posição da Geral, pela prefeitura, me chateia ela afirmar que o contrato se dá de forma específica enquanto a Geral afirma que não. Pela Geral, fico chateado porque visivelmente ela não consegue um diálogo com o Executivo e vai ter que fechar as portas da empresa, já dando aviso prévio mês que vem para os mais de cem funcionários. A prefeitura tem obrigação de resolver isso antes de encerrar o contrato, o recolhimento do lixo precisa ser levado mais a sério pelo prefeito", disse o vereador.
 
O Presidente Alberi Dias declarou que essa questão tem que ser resolvida o quanto antes: "Temos que encontrar uma solução junto a empresa e ao Poder Executivo rapidamente, tanto para garantir o emprego dos funcionários da Geral, como para resolver o problema da coleta do lixo na cidade", ressaltou.
 
Para Jonas Bohn Bernardo, este tema é muito delicado para ser tratado desta forma: "Este assunto tem que ser tratado com mais responsabilidade por ambas as partes, porque nesta queda de braço entre prefeitura e Geral, sempre o punido é a comunidade e nossa cidade, e isto não pode acontecer", afirmou.