Vereadores se reúnem com a diretoria do Hospital de Caridade de Canela

Publicado em 
Os vereadores Alberi Dias, Presidente do Legislativo, Jonas Roberto Bohn Bernardo, Jerônimo Terra Rolim, Emília Fulcher, Carmen Lúcia de Moraes e Merlin Jone Wulff, receberam a alguns dias o Presidente do Hospital de Caridade de Canela (HCC), Antônio Saldanha Nunes. Na pauta, esteve os esclarecimentos por parte do representante do HCC para as dúvidas e questionamentos dos vereadores, que são cobrados diariamente pela comunidade, e para tentarem juntos unir forças para buscar soluções para todos os problemas enfrentados atualmente.
 
Como é de conhecimento da comunidade canelense, o Hospital da cidade vive uma delicada situação financeira, e diversas frentes, como o Poder Legislativo, o Poder Executivo, ações comunitárias, empresários da cidade, entre outros, tentam auxiliar mas não resolvem as questões financeiras graves da instituição. O HCC é uma associação civil, que funciona com verbas repassadas pelo Ministério da Saúde. A prefeitura da cidade também paga por serviços prestados pelo hospital, mas não tem gerência sobre a entidade.
 
"Eu entendo a vulnerabilidade que o hospital tem hoje em dia, principalmente de acordo com seu déficit, e que a diretoria atual está tentando de todas as formas oferecer um bom serviço aos cidadãos. Mas como representante da comunidade não posso admitir a falta de médicos ou os que possui não tenham a qualificação necessária para os atendimentos", ressaltou Jonas Bohn Bernardo
 
Para o vereador Jerônimo Terra Rolim, que já foi Presidente do HCC, o grave problema da Saúde de Canela sempre foi uma ferida exposta mal acobertada pelos governantes e administradores: "Em que pese eu ter sofrido algumas agressões e ataques, muito me orgulha poder dizer que fiz parte do início da limpeza administrativa e política do hospital de Canela. Fui o primeiro presidente a abrir publicamente os números e mostrei que a dívida passa os 10 milhões e o patrimônio não ultrapassa 8 milhões, demonstrando o prejuízo que o Hospital sofreu com décadas de más administrações", lembrou.
 
"Mesmo com a prefeitura aportando milhões de reais , o ano de 2017 fechou a contabilidade com um pouco mais de um milhão negativo. Infelizmente por mais que prefeitura entenda que o hospital é entidade privada e não é de sua responsabilidade, a realidade é que hospital em Canela pratica mais de 85% de atendimento SUS, o que é considerado suicídio para quem não é Hospital Federal governamental. Chegou a hora da prefeitura sentar com quem entende de sistema de saúde e ver como resolver essa situação envolvendo nosso dinheiro público: não me importo de destinar o dinheiro dos meus impostos para arrumar hospital, mesmo que para isso algumas ruas precisem não ser asfaltadas agora", finalizou Rolim.
 
NOTA HOSPITAL DE CARIDADE DE CANELA
 
A Diretoria do Hospital de Caridade de Canela, através desta, comunica a seus usuários e a comunidade em geral que, em virtude da substituição da empresa que presta serviços médicos na área de urgência e emergência, se faz necessário restringir a abrangência dos atendimentos mantidos 24 horas. Temos divulgado à comunidade que, dos 180 atendimentos médio diários, 90% caracterizam por atendimentos clínicos que podem também ser atendidos nas UBS (Unidades Básicas de Saúde), que por cultura local, é de costume da população que o HCC seja sempre a referência na busca por consulta médica. A contingência momentânea, deliberada à luz da legislação, pela direção técnica do Hospital de Canela, é direcionada para este grupo dos 90% que procura consultas, continuando a ser atendidos os casos que realmente são o objetivo de nossos serviços médicos, ou seja, a urgência e a emergência.